EnglishPortugueseSpanish
Rua Pais Leme, 524 - 9° andar - Edifício Passarelli - São Paulo-SP 11 3521-0801
EnglishPortugueseSpanish

Áreas de Atuação

Microeletrônica

O LSI-TEC desenvolve pesquisa básica e aplicada, bem como desenvolvimento voltado à transferência de tecnologia entre universidade e empresa, na grande área de microeletrônica. Em particular, são realizados projetos de circuitos integrados e desenvolvimentos com base em processos de microeletrônica, conforme destacado abaixo:

Projeto de Circuitos Integrados

A Associação do Laboratório de Sistemas Integráveis Tecnológico – LSI-TEC – desenvolve a atividade de Projeto de Circuitos Integrados através da sua Design House desde 2006, sendo portanto uma das primeiras Design Houses em operação no Brasil.

Conta com equipe especializada em projetos analógico, digital, mixed-signal e RF, tendo já atuado nos seguintes setores: saúde, energia e smart grid, instrumentação industrial, instrumentação analítica, comunicação, iluminação LED, sensoriamento e controle e até em aplicações bancárias.

As principais vantagens, diretas e indiretas, advindas da utilização de circuitos integrados no seu projeto são:

  • Redução da contagem de componentes em placa. O que diminui peso, volume, consumo de potência, complexidade de placa e custos com manutenção de estoque;
  • Proteção à propriedade intelectual. Por encapsular boa parte da circuitaria de um projeto em um único componente, cria-se dificuldades e obstáculos para atividades de engenharia reversa sobre o produto;
  • Pronta disponibilidade do componente. Uma vez projetado e desenvolvido um circuito integrado, ele passa a ser um componente de prateleira que pode ser produzido conforme a demanda. Evitam-se assim todos os problemas gerados quando o fornecedor decide descontinuar um componente que pode ser crítico no produto, ou quando se dispõe apenas de um único fornecedor;
  • Ampliar o grau de nacionalização de um produto. Em certas situações, produtos que utilizam circuitos integrados projetados no Brasil podem se beneficiar de incentivos fiscais e facilidades de financiamento. As portarias 1309 e 950 do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação – MCTIC – regulam a concessão do status de “produto nacional”.

Como resultado da sua atuação no projeto de vários circuitos integrados de aplicação específica (ASIC), a Design House do LSI-TEC acabou por desenvolver um portfólio de blocos circuitais que podem ser comercializados independentemente como IPs (Intelectual Property).

Conheça nossos IPs. A equipe da Design House oferece serviços de customização e migração de nó tecnológico, além do projeto completo a partir de especificações.

Processos e Microfabricação

A Divisão de Microestruturas e Processos de Microfabricação (DMI) estuda a fabricação de microestruturas e microdispositivos eletrônicos, além de se aplicar a estudos e fabricação de sensores voltados para o atendimento de demandas específicas da indústria nacional.

Atualmente desenvolvemos pesquisas nos seguintes campos desta área:

  • Tecnologias para a fabricação de microestruturas;
  • Sensor de pressão integrado;
  • Microdispositivos para controle de fluido (amplificadores microfluídicos);
  • Microestruturas para sensores químicos;
  • Estruturas SAW ("Surface Acoustic Waves") e
  • Elementos micro-ópticos.

As atividades se concentram em:

  • Processos de litografia
    • Litografia óptica, corrosão a seco de filmes finos de SiO2, Si3N4, Si, Al e polímeros
    • Caracterização de fenômenos relacionados a plasma
    • Litografia por feixe de elétron
  • Filmes finos
    • Silicatos de titânio e de cobalto obtidos pela deposição de metal por "sputtering" ou evaporação, seguido de recozimento térmico rápido
    • Si-poli e nitreto de silício crescidos pelo processo de LPCVD ("Low Pressure Chemical Vapor Deposition")
    • Filmes finos de dióxido de silício não-dopado, PSG ("Phosphosilicate Glass"), BSG ("Boron Silicate Glass") e BPSG ("Boro-phospho-silicate Glass") crescidos pela técnica TEOS/PECVD ("Tetraethoxysilane / Plasma Enhanced Chemical Vapor Deposition")
  • Aplicação da Engenharia de Superfície no desenvolvimento de dispositivos MOS ("Metal Oxide Semiconductor") e estruturas sensoras
    • Processos de limpezas químicas de superfícies de semicondutores
    • Caracterização e modelamento de contaminações superficiais
    • Caracterização de microrrugosidade da superfície
    • Oxidação térmica rápida (RTO – "Rapid Thermal Oxidation") da superfície de silício
    • Recozimento e escoamento de óxidos depositados por CVD ("Chemical Vapor Deposition")
    • Sinterização e recozimento de estados de interface
    • Modelamento e processamento térmico rápido

Sensores

A área de Sensores desenvolve microsensores para instrumentação, metrologia, biomedicina e análise ambiental em parceria com diversas instituições estatais e privadas de destaque, e conta com o apoio financeiro do CNPq, FAPESP e FINEP em grande parte de seus projetos.

A miniaturização de sensores permite a obtenção de dispositivos de alto desempenho dinâmico e elevada eficiência operacional. Também, a integração de diferentes tipos de sensores a um eficiente sistema de transmissão, processamento e análise de dados, possibilita a realização de monitoramentos em tempo real.

Montagem Eletrônica

A área de Montagem Eletrônica tem por missão atender à demanda das empresas nacionais da indústria eletrônica por soluções aos desafios que surgem constantemente na tecnologia de montagem em superfície (SMT). Para isso, dispõe de uma linha de montagem de última geração, montada em parceria com a LG Electronics, com incentivos da Lei de Informática.

Desenvolvimento de Hardware

A equipe de Desenvolvimento de Hardware do LSI-TEC oferece serviços de projeto e desenvolvimento até o nível de protótipo conforme as tecnologias apontadas abaixo.

O direcionamento para a solução tecnológica mais adequada é feito após rigorosa análise técnico-econômica sobre as condições e necessidades do projeto.

O desenvolvimento final do produto é realizado por parceiros tecnológicos apontados pelo LSI-TEC para garantir qualidade e condições de entrega para os nossos clientes.

Projeto de Circuitos Integrados

Quando um produto requer o desenvolvimento de um circuito integrado de aplicação específica (ASIC), a equipe do LSI-TEC se encarrega não somente do projeto do chip em si, mas também seleciona os parceiros-chave, como Foundry, Encapsuladora e Test House, de modo a garantir toda a cadeia de fornecimento do chip.

Para mais informações, veja esse link.

Projeto em FPGA

FPGA, ou Field Programmable Gate Array (Matriz de Portas Programáveis em Campo), ao contrário de um ASIC que tem função definida por construção, é um dispositivo que pode ser programado de modo a alterar a sua funcionalidade.

Além de gerar um hardware mais flexível, o ciclo de projeto em FPGA é bem mais curto do que o de um ASIC, permitindo prototipagem rápida ou a chegada do produto no mercado em menor tempo.

Assim, projetos em FPGA são realizados tanto com a intenção de se obter um produto final, quanto como suporte para prototipagem rápida de projetos de circuitos integrados digitais.

Tanto num caso, como no outro, a equipe do LSI-TEC oferece todo o suporte necessário para garantir a qualidade do produto final.

Projeto de PCB

A Placa de Circuito Impresso (ou PCB na sigla em inglês) é a forma mais tradicional de projeto em eletrônica, fazendo uso de componentes discretos e circuitos integrados, que tanto podem ser de desenvolvimento nosso, quanto produtos de prateleira.

A equipe do LSI-TEC emprega ferramentas EDA de última geração para alcançar as especificações elétricas, térmicas e de interferência eletromagnética para cada tipo de projeto.

Desenvolvimento de firmware embarcado

Firmware é um tipo de software de baixo nível desenvolvido para o controle de hardware específico, geralmente com funções bem definidas.

A equipe do LSI-TEC já desenvolveu firmware para utilização tanto com MCU’s embarcadas (ARM, DSP’s) em circuitos integrados de projeto próprio, como em MCU’s externas operando em cooperação com outros dispositivos, incluindo FPGA’s. Também já desenvolveu firmware em código de máquina proprietário para uso com hardware dedicado de implementação própria.

Quanto às áreas de aplicação, elas vão desde IoT e dispositivos para a área de saúde, até equipamentos elétricos industriais.

Hoje em dia, praticamente nenhum projeto de hardware pode prescindir do desenvolvimento de firmware embarcado.

Além dos requisitos funcionais, a segurança do sistema também precisa ser levada em conta quando do desenvolvimento do firmware.

A equipe do LSI-TEC consegue isso aplicando as boas práticas de codificação, verificação e testes.

Mobile

Desde 2006, o LSI-TEC atua na área de dispositivos móveis realizando projetos de desenvolvimento e qualidade de software, trabalhando com diversas tecnologias associadas a esta área (software embarcado Android, iOS, 4G-LTE, VoLTE , NFC ,Wi-fi, Bluetooth, Sensores, GPS, etc.).

Os dispositivos móveis, especialmente os celulares, têm tido uma evolução tecnológica rápida e contínua, sempre apresentando melhorias de hardware e agregando novas funcionalidades a cada novo modelo lançado. A participação em projetos nesta área durante esses últimos anos possibilitou a formação de uma equipe LSI-TEC de profissionais altamente qualificados para a realização de projetos de pesquisa, desenvolvimento e novas soluções de software para dispositivos móveis.

Atualmente o LSI-TEC atua em 3 subáreas de dispositivos móveis:

Desenvolvimento de Software Embarcado

O LSI-TEC atua com desenvolvimento de software embarcado desde 2006.

Atualmente, o sistema operacional Android da Google é a base para o desenvolvimento de software embarcado pelo LSI-TEC. Dentro do sistema Android são feitas diversas modificações e novas implementações em todas as camadas para atingir determinados objetivos.

Nas camadas mais altas do sistema são realizadas implementações de usabilidade e interface gráfica, atingindo objetivos propostos por clientes e proporcionando uma ótima experiência para o usuário.

Nas camadas de interface e mais baixas do sistema são tratadas as funcionalidades ligadas a sistema de arquivos, Kernel, Bootloader, MiniOS, comunicação com modem, comunicação com redes de telefonia e Wi-Fi, serviços de rede, interoperabilidade de serviços e funcionamento de componentes diversos (cartão SIM, GPS, NFC, Bluetooth, câmeras, sensores, display, touch, áudio, power e etc.).

Pode-se destacar, também, o conhecimento em protocolos de comunicação de rede e dados para diferentes tecnologias como 2G, 3G e LTE, canais de comunicação e sua topologia, protocolos de conectividade para Wi-Fi, Bluetooth, NFC e meios de pagamento móvel.

São ainda realizadas análises de estabilidade do sistema e aplicativos, concorrência, consumo de bateria, temperatura, desempenho do smartphone em termos de uso de memória e processamento para otimização dos recursos pelo sistema.

O LSI-TEC desenvolve soluções para todo o sistema embarcado Android e trabalha com as mais recentes tecnologias, como chamada via Wi-Fi ou LTE (VoWiFi e VoLTE).

Qualidade de Software Embarcado

Testes CTS

Desde 2013, o LSI-TEC certifica a qualidade do software embarcado Android em smartphones realizando os testes obrigatórios requisitados pela Google (testes CTS).

Os testes CTS (Compatibility Test Suit) são um conjunto de testes que devem ser realizados para toda nova versão do software embarcado a ser disponibilizada para um determinado smartphone, certificando que a versão está de acordo com o padrão de funcionamento e segurança imposto pelo Google.

Dentre os testes realizados estão:

  • Testes de qualidade de áudio, câmera, vídeo.
  • Testes de funcionamento de sensores (acelerômetro, giroscópio), touchscreen.
  • Testes de qualidade de sinal (rede, wi-fi).
  • Testes de transferência de dados (via bluetooth, wi-fi direct, cabo usb).
  • Testes de verificação de vulnerabilidade do sistema.

Na versão Android O (Oreo) são realizados mais de 700 mil testes (alguns automatizados, outros manuais) para a certificação Google.

Testes de Campo e User Interface

Com uma experiência de mais de 10 anos em testes de campo em telefones celulares, realizando validações nas mais diferentes redes de telefonia celular do Brasil e da América Latina, o LSI-TEC disponibiliza aos fabricantes de Smartphones uma equipe especializada em testes de celulares de forma a garantir a qualidade dos software embarcados nesses equipamentos.

Testes de Campo

Avalia o comportamento dos Smartphones quando interagem com as mais diversas redes de telefonia celular verificando o comportamento do equipamento nas mais diversas condições de uso, tais como:

  • Teste de Call Performance – (Verificação da qualidade de voz e taxa de queda de chamadas).
  • Teste de RF – Rádio Frequência – (Verifica se o celular responde à troca de frequências (handover)).
  • Testes de Interoperabilidade do Software – (Verificação da integridade dos módulos de Software e funções dos terminais).
  • Testes de interoperabilidade com a rede de telefonia celular – (Verificação do funcionamento do terminal quando interage com a rede como, por exemplo, originação e terminação de chamadas).

Testes de UI (User Interface)

Avalia a interface do usuário em relação aos menus, posicionamento de tela, traduções, interconexões de menus, disposição de tela, entre outros testes que visam a eliminar erros e falhas durante a interação entre o usuário e o Smartphone.

Desenvolvimento de Aplicativos

Em nossa área de desenvolvimento mobile temos equipes especializadas em desenvolvimento de Aplicativos para plataformas Android e iOS.

Apoiamos nossos clientes desde a ideia até o lançamento do aplicativo, porém cuidamos com muito profissionalismo da manutenção e atualizações.

Para iOS nativo, desenvolvemos aplicativos utilizando Objective-C e Swift e para Android nativo, utilizamos linguagens Java e Kotlin. Porém fornecemos também o desenvolvimento de aplicativos utilizando linguagem IONIC para uma abordagem híbrida, conforme a necessidade de nossos clientes.

IoT

A Internet das Coisas (IoT – Internet of Things) surge como uma importante tecnologia de transformação digital que pode ajudar a inovar e aumentar o valor agregado do seu negócio, através de sensoriamento, coleta e análise dos dados. Com visão estratégica, é possível preparar-se para o futuro impulsionando seus negócios hoje.

O LSI-TEC desenvolve projetos inovadores de IoT, voltados para diversas áreas dos setores público e privado, como por exemplo, cidades inteligentes, saúde, indústria, rural, hotelaria, energia, etc.

São soluções que envolvem desde projetos e prototipagem de hardware dedicado, prototipagem de sensores, computação em nuvem, big data, data analytics e machine learning.

O LSI-TEC executa os projetos com arquitetura escalável e os protótipos evoluem para soluções com milhões de sensores coletando dados em tempo real e integrando com outras soluções.

Células a Combustível

Desenvolvimento de células a combustíveis e suas utilizações, fazendo uso das tecnologias mais recentes. Estudos de aplicações de materiais poliméricos e cerâmicos, de acordo com a aplicação desejada. Projeto, dimensionamento e construção de sistemas de fornecimento de energia a partir de células combustíveis, como fonte primária ou secundária em locais sem acesso à rede de distribuição de energia. A geração limpa de energia elétrica deve ganhar espaço para uso em veículos, estações geradoras de energia em residências, hospitais, pequenas indústrias e outras atividades.

Segurança da Informação

O LSI-TEC atua em diversos segmentos relacionados à segurança da informação, abrangendo segurança corporativa, segurança de meios de pagamento eletrônico, segurança no processo de desenvolvimento e formação profissional.

As atividades na área de segurança da informação iniciaram-se em 1995, com a demanda do treinamento “Administração e segurança de redes” requisitado pelo “Grupo de Trabalho de Recursos Humanos da INTERNET/BR”. A partir dessa iniciativa, os treinamentos na área de segurança da informação foram ampliados e consolidados, principalmente para a área bancária. Ao longo do tempo, o escopo das atividades foi ampliado, abrangendo também pesquisa, desenvolvimento e consultoria. Desde o início de sua atuação, os principais clientes foram os grandes bancos privados brasileiros, devido à criticidade das suas operações.

Escopos de atuação

Segurança corporativa

  • Auditoria de segurança e conformidade
    • Processos corporativos
    • Segurança (ISO 27001, PCI DSS)
    • Gestão de riscos (ISO 27005, ISO 31.000)
  • Análise de risco
  • EHT – Ethical Hacking Test (black, grey e white box)
    • WEB
    • Aplicativos (mobile)
    • Sistemas corporativos
    • Infraestrutura de redes e servidores
    • Rede wireless
    • Sistemas de proteção de perímetro
  • Avaliação de maturidade em cybersecurity
  • Investigação e perícia digital
  • Resposta a incidentes
  • Suporte à implementação de processos e projetos de segurança (planejamento, projeto, implementação e avaliação)
  • Apoio ao planejamento estratégico na área de segurança da informação

Meios de pagamento eletrônico

  • Análise de segurança em sistemas de pagamento eletrônico
  • Análise de segurança EMV
  • Investigação de fraudes eletrônicas
  • Avaliação de conformidade
  • Elaboração de parecer

Segurança no desenvolvimento

  • Segurança integrada ao SDLC (System Development Life Cycle)
  • Revisão de código
  • Testes black, grey e white box

Formação profissional

  • Treinamento de equipes

Diferenciais

  • Profissionais capacitados e experientes
  • Imparcialidade e independência
  • Experiência de mais de 15 anos na área
  • Reconhecimento na área

Meios de Pagamento

O LSI-TEC possui uma gama de competências no âmbito de meios de pagamento eletrônico, com atuação em desenvolvimento de software, análise de segurança e análise de interoperabilidade, tanto nos meios de pagamento tradicionais (EMV e micropagamentos sem contato), quanto nos novos sistemas de pagamento eletrônicos instantâneos.

Escopos de atuação

Desenvolvimento de software para sistemas de pagamento eletrônico:

  • Aplicação para smartcard
  • Software para terminais
  • Aplicativo para dispositivo móvel
  • Autorizador

Análise de segurança

  • Análise de segurança em sistemas de pagamento eletrônico – Análise de segurança de sistemas implantados de pagamento eletrônico como os tradicionais sem contato (MIFARE, CiPurse, Calypso & FeliCa) e os novos sistemas de pagamento instantâneos.
  • Análise de segurança EMV 360º – Avaliação de segurança do componente dentro do ecossistema de processamento do pagamento EMV.
    • Aplicativo para dispositivo móvel
    • Cartão EMV (ataques MITM, CVM downgrade, wedge, replay, etc.)
    • Terminal (POS, PDV, Caixa Eletrônico, TecBan, etc.)
    • Autorizador
  • Investigação de fraudes eletrônicas

Elaboração de parecer

  • Elaboração de parecer sobre segurança de sistemas de pagamento eletrônico

Laboratório de Certificações

O SCTL – Security and Compliance Technical Laboratory (Laboratório Técnico de Segurança e Conformidade) do LSI-TEC foi concebido com a finalidade de propiciar ao mercado meios para que seja possível aferir a qualidade técnica de produtos na área de meios de pagamento, incluindo bilhetagem eletrônica (Automated Fare Collection – AFC).

O SCTL – LSIT-EC está voltado principalmente à realização de ensaios relacionados à comunicação com contato e sem contato entre cartões e terminais envolvendo o seguinte escopo de atuação:

Certificação MIFARE TM

A tecnologia MIFARE™, proprietária da NXP, extensamente utilizada no mercado, faz uso de um perfil do padrão ISO/IEC 14443 para a camada de comunicação sem contato (proximidade).

A Certificação Funcional MIFARE™ tem como objetivo assegurar a interoperabilidade do uso da tecnologia MIFARE™ Ultralight, Classic, Classic Plus e Desfire entre fornecedores de cartões e terminais em relação à comunicação sem contato.

Mais informações acesse: http://sctl.lsitec.org.br/ensaios/funcional-mifare/

Avaliação de conformidade ISO/IEC 14443 (comunicação sem contato)

O Sistema de bilhetagem eletrônica, também conhecido como Automated Fare Collection (AFC), consiste em um conjunto de dispositivos e sistemas que tem por finalidade automatizar a cobrança eletrônica de passagens.

A avaliação de conformidade AFC (ISO/IEC 14443) tem como objetivo assegurar a interoperabilidade da comunicação sem contato entre cartões e leitoras AFC de diferentes fabricantes a partir da avaliação da aderência destes produtos às normas internacionais.

Mais informações acesse: http://sctl.lsitec.org.br/ensaios/avaliacao-conformidade-14443/

Avaliação de conformidade ISO/IEC 7816-3 (comunicação por contato)

A interface de cartões inteligentes (smartcards) com contato possui características que devem estar em conformidade com as normas ISO/IEC 7810 (Identification cards – Physical characteristics) e ISO/IEC 7816-3 (Cards with contacts – Electrical interface and transmission protocols) a fim de garantir a interoperabilidade entre cartões e terminais em relação às dimensões do cartão, localização dos contatos, interface elétrica e protocolos de transmissão.

Mais informações acesse: http://sctl.lsitec.org.br/ensaios/avaliacao-conformidade-7816/

Avaliação de amostras

Avaliação de amostras de cartão ou terminal frente ao relatório de certificação MIFARE ou relatório de avaliação ISO/IEC 14443, como forma de verificar sua semelhança com o produto previamente certificado ou avaliado.

Mais informações acesse: http://sctl.lsitec.org.br/ensaios/amostras/

Avaliação de segurança ABECS de terminais POS

O crescente número de cartões EMV emitidos pelos bancos e consequente aumento do número de transações eletrônicas realizadas para pagamentos de bens e serviços em estabelecimentos comerciais no Brasil fez também crescer o número de ataques aos terminais EMV POS (Point-of-Sale) com a finalidade de captura de senhas dos usuários e dados dos cartões.

O LSI-TEC é um laboratório credenciado pela ABECS para realizar a Certificação ABECS de Terminais POS (Certificação de Segurança para Dispositivos de Captura de Senhas).

Mais informações acesse: http://sctl.lsitec.org.br/ensaios/certificacao-abecs-pos/

Modelagem de Processos

Num mercado que é cada vez mais competitivo, que avança de acordo com as novas tecnologias e num ambiente dinâmico em que as empresas estão inseridas, é importante gerenciar os seus processos evitando perdas aos negócios.

Este gerenciamento inclui os quatro pilares que sustentam os processos de uma organização: pessoas, tecnologia, tempo e custo. As empresas de sucesso possuem seus processos bem definidos, no entanto, devido às constantes mudanças a que todas estão sujeitas, sempre é possível melhorar!

Por vezes, com uma simples mudança na forma de pensar as atividades de negócio ou com a implantação de novas tecnologias, por exemplo, é possível aproveitar o capital humano, reter o conhecimento, otimizar tempo e custo! Por isso, acompanhar o mercado e as mudanças econômicas, naturalmente, traz impactos em seus processos!

Dentro do que o LSI-TEC pode oferecer para manter esses quatro pilares em harmonia e que fará a diferença nos negócios estão:

  • Modelagem de Processos: através de BPM
  • Mapeamento dos Processos: “As Is”
  • Identificação de melhorias: “To Be”
  • Documentação de Processos: Procedimentos, Instruções de Trabalho, Manuais de Trabalho
  • Técnicas para Gerenciamento de Processos.

Consulte-nos!

Desenvolvimento de Software

A área de Desenvolvimento de Software do LSI-TEC realiza a construção de softwares sob medida, atendendo às diversas necessidades e expectativas de nossos clientes.

Contamos com equipes de profissionais qualificados, com conhecimentos multidisciplinares e experiência na área, mas sobretudo, nossos profissionais são apaixonados pelo que fazem e buscam sempre estar atualizados com as tendências de tecnologias de desenvolvimento e melhores práticas de mercado.

Executamos projetos do início ao fim, conforme a engenharia de software, mas também podemos executar partes de projetos, como por exemplo, levantamento de requisitos, projeto lógico, projeto físico, arquitetura, testes e qualidade.

Utilizamos linguagens de desenvolvimento de software backend Microsoft .Net, Java, Python, Node.JS e para frontend HTML5, JavaScript e CSS.

Atuamos com metodologias ágeis e metodologia tradicional de desenvolvimento, mantendo a sinergia entre as pessoas da equipe e produzindo os artefatos necessários para a produção do software.

Tecnologias para Educação

O LSI-TEC é formado por uma equipe multidisciplinar de pesquisadores que, empenhados na elaboração de projetos educacionais interativos, apostam e promovem a inclusão digital e social, abrangendo diversas áreas do conhecimento. Seu perfil multidisciplinar permite o desenvolvimento de tecnologias e soluções inovadoras para a educação e o entretenimento.

GenVirtual

O GenVirtual é um software de realidade aumentada musical voltado para reabilitação funcional de pessoas com deficiência. O ambiente oferece diversas atividades interativas como jogos e brincadeiras musicais que podem ser utilizadas para apoiar o desenvolvimento de habilidades motoras como coordenação, equilíbrio, mobilidade e sincronização. Aspectos cognitivos como atenção, memória, concentração, raciocínio e percepção sensorial também podem ser explorados por meio do GenVirtual, visto que os jogos são recursos pedagógicos muito utilizados para o desenvolvimento de habilidades cognitivas, sociais e emocionais.

Simulador de Corrida de Carros

O Simulador de Corrida de Carros é um projeto desenvolvido para a Matic Entretenimentos, empresa brasileira que fabrica, distribui e comercializa produtos para entretenimento no país.

O objetivo do projeto foi desenvolver um software que simula uma corrida de carros na pista de Interlagos e um hardware que conecta o software ao volante, pedais, marchas e botões e que aplica uma realimentação de força no volante (force-feedback), envolvendo a pesquisa, análise, modelagem e desenvolvimento de diversos módulos como: subsistema gráfico, subsistema sonoro, subsistema de simulação física, subsistema multiplayer, interação com volante, pedais, marchas e botões, modelagem e criação de conteúdo, bem como a integração dos módulos.

O Simulador de Corrida de Carros roda em sistema operacional Linux e usa bibliotecas livres. Lançado no segundo semestre de 2005, como o jogo eletrônico GP Brasil, marcou o domínio da produção de games 100% nacionais, capacitando a Matic a produzir e comercializar seus produtos sem depender de fornecedores estrangeiros para software e hardware.

FEBRACE

FEBRACE é um projeto de ação contínua com o objetivo de estimular a criatividade, a reflexão, o aprofundamento e o raciocínio crítico nas atividades desenvolvidas por estudantes de Educação Básica (Fundamental, Médio e Técnico) através da indução em realizar projetos investigativos em Ciências, Engenharia e suas aplicações. Essa ação é anualmente mostrada ao público através de uma grande feira de projetos, os quais são avaliados por uma comissão que convida os melhores a expor seus trabalhos. Trata-se de uma grande oportunidade para estudantes e professores de todo o país compartilharem experiências e mostrar seus talentos pois o evento é aberto ao público e interage com a comunidade universitária (professores, funcionários, estudantes de pós-graduação e de graduação) e a comunidade escolar (escolas públicas e privadas do ensino fundamental e médio, de diferentes estados). A feira registra, a cada ano, a média de 20.000 visitas nos três dias de exposição.

Desde 2003 são premiados projetos que se destacam na identificação de problemas e na busca de estratégias para solucioná-los. Com uma visão crítica, os estudantes expressam suas idéias, exercitam sua criatividade e abrem caminhos para o exercício da cidadania de fato.

O projeto da FEBRACE envolve a organização e a realização da feira anual, a elaboração de material de apoio e a montagem do website do evento. Entre seus apoiadores estão a INTEL Semicondutores do Brasil SA, sendo afiliada à International Science and Engineering Fair (ISEF), a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura – UNESCO, o Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), o Ministério da Educação e Cultura (MEC), a Secretaria de Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo, Rede Globo, TV Cultura, Editora Saber.

Projeto Edulivre

O projeto EduLivre, financiado pela FINEP, visa atingir camadas diferenciadas da comunidade digital através da concepção, desenvolvimento e implementação de aplicações associadas a modelos de negócio e sustentabilidade, envolvendo software livre e/ou aberto, em diversos segmentos, abrangendo: educação e edu-entretenimento; serviços web; mobilidade (celulares, palmtops, soluções wifi); aplicações 2P2 e aplicações massivas.

Unindo a habilidade técnica à concepção de modelos de negócios sustentáveis para segmentos emergentes, o projeto busca permitir que o mercado brasileiro se mantenha bem posicionado frente a cenários de oportunidades promissoras, contribuindo ao mesmo tempo para a redução da exclusão social através da melhoria educacional.

Projeto OLPC ( Um Lap Top por Criança)

Apresentado ao governo brasileiro pelo laboratório norte-americano MIT/MediaLab, esse projeto visa a criação do laptop de baixo custo que possa ser distribuído gratuitamente a todos os estudantes das redes públicas de ensino fundamental e médio. De posse do projeto – enviado a diversos governos no mundo inteiro – o governo brasileiro escolheu o NATE para analisar a viabilidade da parte do projeto que está focada na confecção do hardware e software. Esta proposta quebra paradigmas ao ousar buscar caminhos para a fabricação de um computador portátil a um preço realmente acessível, indo de encontro à meta de inclusão digital fundamental para países com tantas desigualdades como é o caso do Brasil.

Projeto Cientec – Nave Mário Schenberg

Voltado a jovens de 10 a 18 anos, o projeto está sendo desenvolvido em parceria com o Parque Cientec da Escola Politécnica e visa a aprendizagem colaborativa e interativa. Trata-se de um jogo cujo tema é uma missão de salvamento da população de um planeta. O ambiente imersivo simula uma nave espacial e segue um roteiro pré-estabelecido. Com ambientação cenográfica, seis diferentes estações de trabalho e um telão com sistema de estereoscopia, o jogo permite a participação simultânea de 22 jovens divididos em grupos de 6.

Projeto Cientec – Gruta Digital

Espaço Itinerante que abriga um Ambiente Virtual de aprendizagem. O ambiente faz uso de uma interface avançada entre o usuário e um sistema computacional, permitindo a sensação real de estar dentro de um mundo virtual gerado por computador. A Gruta Digital pode ser transportada até as instituições de ensino da rede pública a fim de potencializar as atividades educacionais. Neste espaço são projetadas três aplicações educacionais: um passeio virtual pela cidade do Rio de Janeiro, um planetário virtual e uma visualização molecular.

Projeto TIDIA-AE

Abreviação de Tecnologia da Informação para o Desenvolvimento da Internet Avançada – Aprendizado Eletrônico, o projeto visa a pesquisa e o desenvolvimento na área de ensino a distância, com ferramentas de código livre e amparado pelas redes de alta velocidade. Os objetivos incluem a especificação, projeto e implementação de um amplo conjunto de ferramentas de ensino a distância, baseado em soluções flexíveis de baixo custo.

Projeto FADAS

Ao mesmo tempo que busca as tecnologias de ponta disponíveis, esse projeto propõe encapsular suas complexidades e utiliza linguagem de programação simples para que as pessoas não especialistas possam empregá-las em diversas áreas, principalmente na educação, criando e interagindo em mundos virtuais.

Projeto Kit Oficina de Projeto

Pesquisa e desenvolvimento de um kit de blocos construtivos que permitem o trabalho com lógica de programação e eletrônica na sala de aula sem a necessidade de possuir um computador e tampouco uma tomada elétrica.

Projeto Tutor em Rede

Trata-se de um ambiente Web que permite a comunicação, discussão e diálogo entre tutores especialistas e alunos de curso pré-vestibular. O ambiente contém ferramentas para os alunos e para os tutores e procura automatizar e facilitar a comunicação entre ambos. Possibilita ainda criar uma estrutura hierárquica de coordenação de tutores e orientação dos mesmos. O sistema foi implantado no contexto do Projeto ProUni que oferece cursos pré-vestibulares para alunos de escolas públicas.

Edu Musical

Envolvendo instituições de pesquisa do Sul e Sudeste, com pesquisadores de várias áreas do conhecimento como engenharia eletrônica, ciência da computação, educação, educação musical e arquitetura, o resultado foi um projeto de aplicação de uso livre, o Editor Musical e um Portal Edumusical (www.edumusical.org.br), os quais oferecem aplicações para trabalhar diferentes habilidades musicais em modos individuais e colaborativos. O portal já possui mais de 8.000 usuários cadastrados.

Cidade que a Gente Quer

O projeto envolve a formação de professores multiplicadores em oficinas, o desenvolvimento de um Portal para comunicação à distância e o acompanhamento das atividades realizadas com visitas periódicas presenciais. O projeto culminou numa amostra dos trabalhos desenvolvidos pelos alunos durante as oficinas.

Projeto Baratinha

Anterior ao Simulador de Corridas GP Brasil, o Projeto Baratinha é que iniciou, em 2002, a parceria entre o LSI-TEC e a Matic Entretenimentos. Este projeto permitiu o desenvolvimento de uma placa eletrônica reconfigurável para utilização em Jogos de Arcade. A Placa possui 16 entradas digitais, 8 chaves de controle DIP SWITCH, 16 saídas digitais e uma FPGA reprogramável. Além de desenvolver a placa, o LSI-TEC transferiu a tecnologia e capacitou a equipe da MATIC. Com isto, a empresa vem reprogramando a placa eletrônica e criando outros jogos baseados na mesma tecnologia digital desenvolvida pelo LSI -TEC, tais como Tacco Ball, Tacco Ball Kids, Disco Voador e Disco Kids.

Realidade Virtual e Aumentada

O LSI-TEC tem como uma de suas especialidades o desenvolvimento de sistemas de realidade virtual imersiva e de realidade mista levando em conta baixo custo e alto desempenho. A elaboração de sistemas imersivos é uma competência multidisciplinar que envolve desde a modelagem do conteúdo 3D, até a montagem do sistema de produção de imagens. As soluções desenvolvidas pelo LSI-TEC priorizam o baixo custo, pois utilizam equipamentos convencionais escalados para atingir alta qualidade, como o aglomerado de computadores (VR Cluster), que é um sistema composto por diversos computadores funcionando em paralelo para gerar imagens de ambientes virtuais complexos em tempo real.

Furnas

A FURNAS Centrais Elétricas S/A contratou a Caverna Digital para a produção de um software de visualização em ambiente virtual da montagem e manutenção de suas turbinas . A equipe da Caverna Digital foi responsável pela criação do ambiente virtual ( a conversão dos modelos 3d e animação), a programação do software de treinamento e o design e execução da interface e os mecanismos de interação.

Passadiço

A CAVERNA Digital em parceria com o Centro de Adestramento Almirante Marques de Leão da Marinha do Brasil e com os recursos da Finep desenvolve um projeto de construção do Simulador Passadiço do navio porta aviões São Paulo. A equipe da Caverna Digital é responsável pela criação do ambiente virtual (modelagem dos portos com a precisão de localização dos faróis e bóias), a programação do software de visualização e o design e execução dos mecanismos de interação (vários consoles que simulam os instrumentos reais de uma sala de Passadiço de uma embarcação).

Petrobrás – Formatos 3D

A Caverna Digital em parceria com o Petróleo Brasileiro S/A – PETROBRAS desenvolve, através dos recursos da FUSP, dois projetos de pesquisa: o Sistema Galileu. O Sistema Galileu é uma rede que abrange mecânica computacional e visualização científica de alto desempenho. Uma parte do projeto da rede Galileu permite que diversos grupos distribuídos geograficamente criem, armazenem e visualizem modelos 3d de forma rápida e eficiente. A rede será acessível em qualquer lugar por acesso remoto dando ao usuário total autonomia para tal se faz importante a pesquisa de um padrão que possa ser utilizado por qualquer aplicativo utilizado pela Petrobras.

Petrobrás – Sistema de Multiprojeção

O projeto consiste em desenvolver um Sistema de Projeção de alta resolução e baixo custo, priorizando o uso de equipamentos convencionais e ferramentas de software disponíveis gratuitamente. O Sistema de Projeção de baixo custo irá viabilizar a disseminação das tecnologias de Realidade Virtual para os centros de pesquisa da rede Galileu sem a necessidade de realizar gastos elevados com soluções proprietárias de alto custo.

CAVERNA Digital (CAVE)

Uma infra-estrutura importante para as pesquisas em múltiplas projeções e ambientes imersivos.

Inaugurada em 2001, a Caverna Digital é o primeiro simulador da América Latina. Pode receber interfaces que estimulem o som e o tato, como caixas de som estéreo e equipamentos de force-feedback: por isso é um sistema de realidade virtual com alto envolvimento do usuário. Dentre as possibilidades de exploração dos recursos oferecidos, destaca-se a aquisição de ferramentas profissionais de software para projetos em aplicações finais com ênfase em previsão numérica de tempo, aplicáveis a estruturas de prospecção de petróleo e aeronáutica.

Esta atividade inclui a aquisição de um domo portátil para uso como terminal de acesso remoto da Caverna via internet 2, através de parcerias com a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP).

Museu Catavento – Passeio Digital

O passeio virtual pela cidade do Rio de Janeiro constitui na imersão do visitante em um sistema de realidade virtual similar à Caverna Digital. A aplicação proporciona ao visitante uma sensação de sobrevoar a cidade do Rio de Janeiro, conhecendo os principais pontos turísticos da cidade como: Estádio do Maracanã, Pão de Açúcar, Cristo Redentor e a Praia de Copacabana. Os locais visitados são escolhidos através de uma votação feita pelos próprios visitantes, ou seja, cada um que entrar no espaço poderá votar uma vez no percurso que deseja visitar em seguida através do totem eletrônico. O sistema é composto por uma Cave de 3 lados com duas telas laterais de 3 metros de largura por 2,40 de altura e uma tela frontal de 6 metros por 2,40 cobrindo 270 graus do campo de visão dos visitantes. Um sistema de som 5.1 reproduz uma trilha musical composta a partir da pesquisa de aspectos culturais do Rio de Janeiro, com os ritmos característicos da bossa-nova, das escolas de samba dentre outros.

Museu Catavento – Passeio Interplanetário

O passeio interplanetário possibilita o conhecimento do sistema solar. Ele foi criado para que todos possam interagir de forma simples e intuitiva. Através dele, pode-se ir a planetas e seus Satélites, visualizar constelações, órbitas dos planetas em torno do Sol, o cometa Halley e fazer um tour pela Via Láctea. São fornecidas diversas informações sobre cada local visitado, contribuindo para um maior entendimento e compreensão do sistema solar. O sistema é composto de 3 telas de LCD com 42 polegadas, agindo como janelas para o universo astronômico virtual gerado por um software de visualização de tempo real. Um totem ligado ao sistema de visualização permite aos visitantes escolherem o destino do passeio, além de mostrar ao usuário informações sobre o que é mostrado pelo sistema de forma didática, permitindo um aprendizado interativo de astronomia.

Museu Catavento – Web Totens Fotográficos

O Sistema de Web Totens Fotográficos é o conjunto de quatro estações de captura fotográfica, que obtém imagens personalizadas dos visitantes do museu Catavento, disponibilizando-as na internet para download através de um código de segurança do usuário. Este projeto propõe em elaborar um novo meio de interação com crianças e adolescentes através de fotografia digital. Essa interatividade dar-se-á através da fotografia digital dos visitantes em vários ambientes nas dependências do mesmo.

Eletropaulo

A Caverna Digital executou o Projeto de Pesquisa e Desenvolvimento da ANEEL, em parceria da companhia de energia elétrica de São Paulo (Eletropaulo S/A), com a finalidade de produzir um software de treinamento e avaliação em ambiente virtual de uma atividade de alto risco em manutenção de linhas vivas. A atividade foi Troca de Cruzeta Simples. A equipe da Caverna Digital foi responsável pela criação do ambiente virtual (desde a modelagem e animação 3d), a programação do software de treinamento/avaliação e o design e execução da interface e os mecanismos de interação.

São Paulo – “Uma lembrança virtual”

Projeto da reconstrução virtual 3D do centro histórico de São Paulo em diversos períodos da história, utilizando o acervo iconográfico, mapas e plantas e todo material disponível. A parceria acontece com a Prefeitura Municipal de São Paulo, através do Departamento do Patrimônio Histórico da Secretaria de Cultura. O desenvolvimento tem coordenação conjunta com o Arquivo Histórico Municipal Washington Luis e profissionais da área de arquitetura.

Exposição Virtual Interativa – Santos Dumont

O projeto Santos-Dumont – A saga de um pioneiro mostra a vida e obra desse importante personagem brasileiro consagrado pelo seu trabalho pioneiro no surgimento da aviação no ano em que se comemora o centenário do vôo do 14 Bis. Três módulos foram desenvolvidos pelo Núcleo: o filme de animação, a tenda árabe e a linha do tempo. O primeiro consiste numa sala de exibição com projeção no teto para apresentar um curta-metragem de animação 3D contando a história dele um ponto de vista humano e pessoal. O segundo traz a instalação multimídia interativa construída à semelhança do velho galpão onde ele trabalhava e o último módulo consiste num grande painel interativo que disponibiliza em ordem cronológica os acontecimentos e feitos de Santos-Dumont alinhados com informações sobre a época em que viveu, demonstrando as mudanças e o impacto que suas invenções provocaram.

CV2

Através dos recursos da Finep, o projeto CV2 mapeou as necessidades existentes em aplicações de RV junto a área industrial e desenvolveu aplicações e especificou equipamentos de hardware que atendam a estas necessidades. Dentro deste objetivo macro, foram incluídos o desenvolvimento e a especificação de hardware e software(gerenciamento, controle, visualização) para assegurar a implantação e operacionalização dos Aglomerados Gráficos que serão distribuídos nas 5 regiões do país formando a rede brasileira de visualização (RBV), constituindo a infraestrutura necessária para o desenvolvimento de aplicações junto a indústria. O projeto possibilitou a pesquisa e desenvolvimento de novos sistemas de Projeção Sonora. O sistema de projeção sonoro binaural utilize fones de ouvido para projetar o campo sonoro diretamente nos ouvidos. Ele é análogo ao sistema de projeção visual em estéreo, onde duas imagens, uma para cada olho, são projetadas com o fim de produzir uma imagem tri-dimensional. Diferente de outros sistemas que reproduzem um campo sonoro tri-dimensional, o binaural necessita de apenas dois canais de áudio para dar bons resultados audíveis. Com o equipamento disponível atualmente no laboratório do LSI, podemos montar os seguintes sistemas:Binaural ,Dipolo Estéreo , Envolvente – Ambisonic, 2D – Anel octagonal na altura dos ouvidos e 3D – Cubo. Para o conteúdo a ser projetado nessa nova configuração de imagem e áudio, a equipe de design executou a reconstrução virtual da região da Praça da Sé de São Paulo do ano de 1910/11.

Telessaúde

Num país de dimensões continentais e com uma má distribuição da oferta e da qualidade de serviços em saúde, a Saúde Digital é uma oportunidade de melhorar o atendimento a população, tanto no sistema público quanto no privado.

O LSI-TEC tem articulado um grupo de competência na área, com forte presença nacional e integrado com outros grupos relevantes do Brasil, como o Departamento de Informática na Saúde da Universidade Federal de São Paulo, o Instituto EDUMED e o Instituto Nacional do Câncer.

Os projetos em Saúde Digital são vetores estruturantes em saúde, pois permitem o desenvolvimento local através de um modelo regional e nacional. Isso se dá com implementações de baixo custo em conexão com a Internet, onde as tecnologias chaves são clusters médicos, aplicações avançadas em serviços médicos e sistemas de informação em saúde.

Desenvolvimento e Implantação da Infraestrutura da Rede de Computadores da Fundação Oncocentro de São Paulo (FOSP)

O projeto objetiva-se na revisão, diagnóstico, instalação, atualização e configuração da infra-estrutura relacionado a rede de computadores da FOSP, visando uma melhora de desempenho, serviços e segurança da rede de produção para níveis mínimos aceitáveis. O escopo deste trabalho também relaciona-se a atividades de acompanhamento, assessoria técnica e de capacitação de pessoal técnico da FOSP.

Sistema de Informação para o Laboratório de Anatomia Patológica da FOSP

O objeto de trabalho desta proposta é a análise, projeto, desenvolvimento e assessoria técnica para implantação e capacitação de pessoal para operar um sistema de informação para o Laboratório de Anatomia Patológica da Fundação Oncocentro de São Paulo (FOSP). O escopo deste trabalho é desenvolver um sistema de informação que permita ao laboratório de Anatomia Patológica da FOSP:

  • Rastrear os casos e seus responsáveis durante o exame;
  • Permitir o monitoramento interno (produtividade) e externo (dados epidemiológicos) em tempo real;
  • Permitir o resgate do histórico do paciente em cada novo exame;
  • Controlar e agilizar os fluxos de materiais e informações ao longo do processo de geração do laudo de anatomia patológica;
  • A transferência de tecnologia da metodologia de projetos para a equipe técnica de informática da FOSP.

Portal Oncopediatria

O portal Oncopediatria tem como objetivo utilizar a tecnologia para auxiliar no tratamento do câncer infantil, com acesso livre através da Internet. Ele pretende colaborar para a qualidade dos serviços prestados no setor da saúde, facilitando a gestão de recursos e o acesso à informação. Seu sistema permite, através de acesso seguro na Web, o registro de pacientes em escala nacional, viabilizando amplos programas médicos colaborativos e investigativos, e traz ferramentas que permitem a colaboração remota entre médicos.

Rede Piloto de Telessaúde

Projeto patrocinado pela FINEP e articulado entre 11 instituições, nos estados de São Paulo, Amazonas, Piauí, Rondônia, Santa Catarina, Espírito Santo e Distrito Federal. Busca melhorar a qualidade e proporcionar a disseminação dos serviços prestados no setor de saúde, facilitando o gerenciamento e o acesso à informação de pacientes.

Através do oferecimento de serviços especializados à distância, prevê o estabelecimento da “Rede Piloto de Telessaúde em Oncologia Pediátrica” (ONCONET), com o desenvolvimento das seguintes metas:

  • Implantação da Rede Piloto ONCONET entre 6 hospitais pelo Brasil (DF, AM, RO, SC, ES e PI), 3 universidades (LSI/USP, EPM/UNIFESP e EDUMED/UNICAMP) e a SOBOPE (Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica);
  • Implantação e oferecimentos de serviços avançados a auxílio a prática médica;
  • Protocolos de Tratamento Oncológico Pediátrico;
  • Prontuário Virtual para Câncer Infantil;
  • Supercomputador Médico em Câncer Infantil baseado em Cluster.

Como resultados, o Núcleo de Telessaúde obteve:

  • Clusters adaptados às necessidades da área de saúde: comercialmente viáveis, adequados à realidade brasileira e inéditos;
  • Aplicações avançadas em serviços médicos;
  • Software em sistema em Informação em Saúde;
  • Bancos de dados dimensionados para a área da saúde;
  • Webservices para aplicações médicas.

Quanto aos benefícios sociais, destacam-se:

  • Inclusão Social a partir da inclusão digital e benefícios para toda a comunidade médica e de pacientes;
  • Minimização de migração de pacientes carentes de regiões remotas para tratamento.

Projeto de Identificação e Eliminação de Duplicidade de Pacientes no Banco de Dados do Cartão SUS do Estado de São Paulo

Através de levantamento técnico, análise, e elaboração de um projeto, o trabalho visa buscar soluções que eliminem a duplicidade de pacientes no Banco de Cartão do Sistema Único de Saúde (Cartão SUS). Para a realização deste projeto, o Laboratório de Sistemas Integráveis possui grande experiência no desenvolvimento de Sistema de Registros Eletrônicos de Saúde baseados na Identificação do Paciente e Eliminação de Duplicidade em Projetos como o Registro Hospitalar de Câncer, para o Ministério da Saúde, e como o Sistema de Informatização de Laboratório de Anatomia Patológica, para a Fundação Oncocentro de São Paulo.

Projeto de Fibrose Cística

O escopo deste trabalho é o registro on-line individualizado dos casos de mucoviscidose (fibrose cística) através do desenvolvimento de um Portal WEB que deverá cobrir as seguintes atividades:

  • Registro da doença realizado pelo profissional responsável quando de seu diagnóstico via web, por meio de coleta individualizada do registro da doença de acordo com fichas padronizadas;
  • O Portal conterá um banco de dados de forma a permitir o cadastro das instituições e dos profissionais capacitados, bem como permitir o acesso para registro de informações da doença através da Internet.

Posteriormente, desenvolveu-se atividades técnicas para atualização, melhorias e suporte técnico para o Site do Grupo Brasileiro de Fibrose Cística (GBEFC) e para o Registro de Pacientes de Fibrose Cística on-line na Internet.

Projeto do Portal da SOBOPE

Desenvolvimento e realização de atividades técnicas para Melhorias e Suporte Técnico do Site de Internet da SOBOPE, considerando os seguintes objetivos especifícos:

  • Reformulação do layout e Navegação do Site da SOBOPE;
  • Criação de Uma área restrita por login e senha para gestão de conteúdo;
  • Suporte Técnico para Transmissão de Vídeo-Aulas on-line pela Internet;
  • Suporte Técnico para Administração e Operação do Site da SOBOPE.